Casa da Árvore

Notícias

web_flyer_01_02
25 fev

Escolas municipais e pontos de cultura de Palmas integram projeto “E se eu fosse o autor?”

A partir do próximo dia 9 de março, grupos de alunos e professores de escolas públicas de Palmas irão experimentar novas formas de aproveitar o interesse e suas experiências em cultura digital para incentivar à leitura. É o projeto E se eu fosse o autor?, desenvolvido pela ONG Casa da Árvore, que em 2015 irá realizar uma série de atividades em parceria com escolas municipais e pontos de cultura da capital.
 
A inciativa é da ONG Casa da Árvore, que também vem ajudando redes públicas de ensino dos estados como Goiás e Minas Gerais, além de movimentos sociais em diversas regiões do Brasil a desenvolverem sua vocação para inovação em práticas de incentivo à leitura. Em Palmas o projeto conta com apoio da Prefeitura Municipal de Palmas, através do Programa de Municipal de Incentivo à Cultura / Promic 2014.
 
O Laboratório de Práticas Pedagógicas Inovadoras (Lab de Inovação) é a atividade que marca o início dessa jornada, e acontece entre 9 e 13 de março, das 8h30 às 12h, no Instituto Ideia (603 Alameda 5, Lote 2). O Lab de Inovação é uma ação de formação de educadores onde cerca de 20 professores e educadores da rede municipal de Pontos de Cultura desenvolverão suas próprias formas criativas incentivar crianças e jovens lerem mais e melhor.
 
Ao longo do primeiro semestre de 2015 o projeto irá oferecer também um calendário de atividades com alunos e professores de três escolas de tempo integral da rede municipal de Palmas. É o Laboratório Criativo de Leitura e Tecnologia (Lab Criativo) um ambiente e situação de experimentação e aprendizagem colaborativa, realizado no contraturno da escola. Durante encontros semanais grupos de alunos se reúnem para explorar novas dimensões da leitura e da literatura, a partir da cultura digital. A motivação para as jornadas vem do desafio de produzir conteúdos multimídias e interativos como, vídeos, mapas digitais, e-book e ações em redes sociais. Assim, em um ambiente que estimula a criatividade, a participação e a reflexão os educadores da ONG Casa da Árvore mediam processos de aprendizagem resultado das experiências culturais de cada participante.
 
“Vamos começar o ano atuando em escolas de tempo integral onde já atuamos no ano passado na realização de outros projetos, entre elas a ETI Suely Reche e a ETI Joao Beltrão, abas na zona rural, mas estamos abertos para outras escolas interessadas”, informou Aluísio Cavalcante, coordenador do projeto.
 
 
Resultados comprovados
 
Realizado desde 2010 o projeto E se eu fosse o autor? é prática certificada como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil e Unesco. Em 2014, pelas transformações provocadas junto à rede municipal de ensino de Senador Canedo – GO, foi reconhecido e premiado pelas principais instituições brasileiras de tecnologia de educação e inovação. Entre eles o Prêmio Finep de Inovação (Finep – Governo Federal), Prêmio ARede 2014 (Revista ARede), Prêmio Telecentros BR (ATN –Ministério da Ciência e Tecnologia) além do Desafio Tecnologia é a Ponte (semi-finalista), promovido pela Ashoka e Instituto Claro Embratel.
 
Na cidade goiana o projeto foi responsável pela ampliação média de 70% no índice de leitura espontânea entre os participantes, além da realização de mais de 120 horas de aulas inovadoras desenvolvidas pelos professores capacitados pela equipe da ONG. Tão importantes como o aumento da frequência de leitura espontânea foram as transformações sutis na relação dos participantes com a leitura, a literatura, as linguagens multimídias e sua visão sobre seu próprio itinerário de aprendizagem. Os mecanismos de monitoramento e avaliação desenvolvidos pelo projeto demonstraram que os alunos participantes passaram a identificar suas dificuldades de aprendizagem e encontrar suas motivações para enfrentar esse problema. Já no que se refere às habilidades tecnológicas é possível perceber transformações que geram um empoderamento, o protagonismo e de autonomia dessas crianças.
 
“Não se trata de uma fórmula pronta ou modelo para enfrentar o problema da crise na leitura, mas sim uma maneira de repensar nossas práticas enquanto educadores, uma abordagem metodológica e social para superar esse desafio”, destacou Leila Dias, presidente da ONG.
 



DADOS INSTITUCIONAIS

Razão social: Associação Casa da Árvore
CNPJ: 09.169.589/0001-20
Endereço: Av. Prof. Alfredo de Castro, S/N, Área Especial, Chácara do Governador - Goiânia - GO